terça-feira , Janeiro 23 2018
Casa / NOTÍCIAS / Aécio Neves: 50 milhões em propinas

Aécio Neves: 50 milhões em propinas

O senador tucano teria recebido dinheiro da Odebrecht e da Andrade Gutierrez em uma conta em Cingapura em troca da defesa dos interesses das empresas.

Uma nova leva de acusações atingiu o tucano Aécio Neves. Segundo reportagem de O Globo, ex-executivos da Odebrecht afirmaram que o senador recebeu propina para defender os interesses da construtora e da Andrade Gutierrez nas obras da usina hidrelétrica de Santo Antônio, localizada no rio Madeira, em Rondônia.

Pelo “apoio”, Aécio teria recebido 50 milhões de reais. A Odebrecht, delataram os ex-executivos, pagou 30 milhões. A Andrade Gutierrez, 20 milhões. Segundo a reportagem, os delatores apresentaram comprovantes de depósitos em uma conta em Cingapura operada por um laranja, cujo nome ainda não foi revelado. Henrique Valladares, um dos delatores, afirmou que a conta está vinculada ao empresário Alexandre Accioly, padrinho de um dos filhos do senador e um de seus mais próximos amigos.

Leia também:
Um “abacaxi” no S
TF chamado Gilmar Mendes

Valladares disse ainda ter orientado Dimas Toledo, emissário de Aécio Neves, a depositar parte dos valores em uma outra conta em Cingapura. Toledo foi presidente da estatal Furnas e é famoso por ter produzido uma lista com o repasse de propinas a quase uma centena de políticos. Os tucanos sempre insistiram que a “lista de Furnas” era uma fraude, mas perícias da Polícia Federal comprovaram que o documento não foi “montado ou rasurado”.

Interlocutores da Odebrecht informaram a procuradores e integrantes da Polícia Federal que a conta de Cingapura é da offshore Embersy Services Limited, sediada nas Ilhas Marshall, país com pouco mais de 60 mil habitantes, localizado no Oceano Pacífico. A empresa está vinculada ao codinome “Mineirinho” no chamado departamento de propinasda Odebrecht.

Ainda segundo o jornal, executivos Andrade Gutierrez confirmaram as denúncias.

O senador afirmou que as acusações são falsas e absurdas. Que jamais recebeu qualquer recurso ilícito e que as doações para campanhas eleitorais dele jamais tiveram contrapartida.

Alexandre Accioly declarou que a Andrade Gutierrez é sócia na holding que administra a rede de academias Bodytech. E que a documentação apresentada pela Odebrecht vai provar que ele nunca foi titular ou beneficiário de conta em Cingapura.

Dimas Toledo, por meio de advogados, afirmou jamais ter intermediado recursos para Aécio Neves ou a pedido dele. E que não orientou quem quer que seja a efetuar depósitos em favor de Alexandre Accioly.