quarta-feira , Fevereiro 21 2018
Casa / Sem categoria / Complexo Ford: Valor total da PLR ainda não está fechada, confirmada a 1° parcela.

Complexo Ford: Valor total da PLR ainda não está fechada, confirmada a 1° parcela.

As discussões sobre a PLR continuam em ritmo intenso no Complexo Ford. Por enquanto, ainda não foi definido o valor total do benefício. Mas, uma importante vitória já foi conquistada: O pagamento da primeira parcela, previsto para ser pago até o dia  20, com valor superior ao que a montadora queria pagar.

A Ford tem mantido a resistência e quer congelar o valor da PLR. O Sindicato CTB não aceita isso e, para não prejudicar o trabalhador, já que não foi fechado ainda o valor total, fechou acordo sobre a primeira parcela, ficando o restante para ser discutido na sequência das negociações. Em relação à primeira parcela, a Ford queria pagar R$ 6.671,00, mas o Sindicato conseguiu avançar a proposta e fechar em R$ 7.228,00, valor 8,35% maior do que a primeira parcela paga no ano passado com reajuste pelo INPC DE DEZEMBRO + 2% de aumento real.

Apesar desse avanço, o Complexo Ford tem mantido uma postura intransigente na mesa de negociação. A proposta da montadora é congelar a PLR 2015/2016, congelamento do salario em 2015 e para 2016 somente o INPC + 0,5% de reajuste salarial, o ticket alimentação congelado em 2015 e reajustado em 2016 pelo INPC + 0,5%, além de retirar o abono dos trabalhadores. Para isso, quer pagar R$ 3.000,00. Um absurdo. A empresa quer comprar os direitos dos trabalhadores por uma migalha.
O Sindicato rejeitou essa proposta, pois não beneficiam em nada os funcionários. Com muita firmeza, os dirigentes sindicais têm colocado na mesa de negociação que os trabalhadores não aceitam a redução dos seus direitos. Por isso, o Sindicato deixou clara a reivindicação: para este ano, a entidade defende o pagamento do abono com aumento real, e reajuste real para PLR, data-base e tíquete alimentação. Para 2016, o Sindicato também quer pagamento do abono e reajuste do INPC com aumento real para PLR, data-base e tíquete alimentação.

O Sindicato ainda rejeitou qualquer mudança na escala de trabalho e defendeu a manutenção da jornada de segunda a sexta-feira, com folga aos sábados e domingos.

A entidade ainda chama atenção para que os trabalhadores tomem cuidado com boatos e falsas informações que circulam no chão de fábrica sobre as negociações. Por isso, qualquer dúvida procure um diretor de base ou acompanhem as notícias nos canais de comunicação do Sindicato, como o jornal da categoria e o blog do Sindicato.

“Não vamos aceitar acordos nos moldes que as montadoras estão implantando em São Paulo, baseados na retirada de direitos, congelamento salarial, congelamento de PLR, retirada de ABONO. Vamos até as últimas consequências para garantir avanços para os trabalhadores, os principais responsáveis pelo lucro do Complexo Ford”, destaca Júlio Bonfim, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari filiado a CTB.

12/05/2015

Fonte: Stim Fetim CTB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *